2011-06-08

O povo está se revoltando!

O povo está se revoltando!

 

 

 

tbelem

 

Portugal se tornou o último país a chutar seu governo socialista para escanteio.

O jornal holandês Volkskrant destaca que isto segue uma tendência européia:

Na Alemanha, o conservador CDU/CSU governa junto com o liberal (em termos econômicos) FDP. A Grã-Bretanha tem uma composição semelhante, dos Conservadores com os Liberal-Democratas. Na França, o direitista UMP de Nicholas Sarkozy possui o cetro, enquanto na Itália o enrolado Berlusconi continua sentado em seu trono de direita.

O caso dinamarquês é semelhante ao dos Países Baixos. Também lá, um governo minoritário de centro-direita governa com um partido coligado, o Partido do Povo Dinamarquês. Assim como o Partido da Liberdade de Wilders*, este partido coligado reivindica penas mais pesadas para crimes e menos imigração.

Os artigos até mencionam que mesmo a um dia solidamente socialista Suécia recentemente se voltou para a Direita e que os governos de esquerda na Grécia e na Espanha estão em apuros.

Com os esquerdistas claramente bambeando nas urnas de toda a Europa, é de se perguntar o que os esquerdistas pensam sobre a situação. Como eles explicam isto? Qual eles acham que é o culpado por sua desgraça? Será que eles percebem que talvez tenham cometido alguns erros graves?

Hoje eu tive a sorte de conseguir respostas a estas perguntas -- bem como de dar uma olhada por dentro da mentalidade de esquerda --, tendo participado de uma palestra com um professor visitante que era cientista político e de esquerda.

Ele começou explicando que estava ativo na 'política radical' havia quase 30 anos, primeiro como membro do Partido Comunista dos Países Baixos e hoje no Partido Socialista e, portanto, tinha motivo para estar 'profundamente desapontado' com os acontecimentos recentes.

Ele nos garantiu, entretanto, que o problema não era que os socialistas ou o socialismo tivesse fracassado, mas sim que ele havia tido sucesso demais. O povo se tornou 'mimado' -- palavras suas mesmo -- e assim se esquece de sua lealdade ao socialismo e se permite ser 'tapeado' pela Direita.

Em outras palavras, o problema não é a esquerda (Die Partei hat immer recht), o problema é o povo.

Perguntei se talvez o povo não tivesse sido tapeado, mas estivesse votando legitimamente contra a esquerda porque se opunha a políticas socialistas, tais como os imensos gastos e o multiculturalismo.

Ele respondeu que estes assuntos na verdade eram difíceis de entender para 'as pessoas comuns' e portanto a Direita se aproveitava deles. Ele reiterou, entretanto, que o problema não eram as políticas, era que o povo não 'entendia'.

Esta foi uma declaração reveladora, pos trata-se de uma típica linha de pensamento que perpassa todo o espectro político da esquerda, do comunista mais empedernido ao mais moderado social-democrata. Embora os esquerdistas afirmem serem todos pelo 'povo', ao mesmo tempo eles têm um completo desprezo por ele.

Eles acreditam saber o que é melhor para o povo e se o povo -- bando de camponeses ingratos, metidos a bestas -- se opuser, então que se dano o povo.

Bertolt Brecht -- ironicamente, ele mesmo um dedicado marxista -- zombou desta mentalidade esquerdista em um poema agora famoso, Die Lösung (A Solução), na sequência de um levante contra o governo comunista da Alemanha Oriental, em 1956.

Após o levante do 17 de junho

O Secretário do Sindicato dos Escritores

Fez distribuir panfletos na Stalinallee

Afirmando que o povo

Havia perdido a confiança do governo

E só poderia conquistá-la de novo

Com esforços redobrados. Não seria mais fácil,

Naquele caso, O governo

Dissolver o povo

E eleger um outro?

O que foi piada um dia, entretanto, agora está tristemente se tornando realidade.

Tendo há muito perdido a confiança de esquerda, o povo europeu está de fato sendo dissolvido* e um outro está sendo eleito*, através do multiculturalismo e da imigração em massa, ambos imposições esquerdistas.

Esperemos que o povo continue a se rebelar antes que seja tarde demais.

[Fim do artigo original]

Leia também em DEXTRA: Alien-Nação: o pacto faustiano da Europa pós-democrática; Colonização por estados falidos: a maior ameaça de nosso tempo; A limpeza étnica contra os ingleses.

Um comentário:

José de Araujo Madeiro disse...

Tia Cê,

Tb para vc:

A Visão do Leitor
José de Araújo Madeiro disse...
Laguardia,

Novamente o Supremo comete um ato contra à Constituição, tal como no Casamento Gay.

O Supremo é um Tribunal a Serviço do Lula.

No caso, ao desrespeitar um Acordo Internacional, como da Extradição Entre o Brasil e a Itália. E isto poderá resultar em graves consequências.

1. como outro país não mais querer fazer um acordo da mesma natureza com o Brasil;

2. Quando a própria Itália poderá acionar o Brasil em cortes internacionais, por quebra, unilateral, de um acordo;

3. A Itália anular o Acordo de Extradição com o Brasil e considerar um Battisti como um fugitivo da alta periculosidade da Itália;

3. Outros bandidos terroristas internacionais correrem para o Brasil, buscando obter à impunidade no Brasil;

4. O Cesáre Battisti envolvendo-se em atos no Brasil e matando brasileiros;

5. Finalmente, a esquerda não mais tem argumentos para fustigar à Lei de Anistia, já que o STF defendeu a Soberania Brasileira e isto formou jurisprudência para Lei editada aquí e que entre em choque com outra lei internacional, como nos casos das torturas.

Todavia, espera-se que os italianos não confundam todos brasileiros com os PTralhas. Estamos cada vez decepcionados com a Justiça no Brasil da Era Lula e infelizmente não sabemos o que fazer.

Att. Madeiro