2010-10-30

NAO MATARÁS

 

O aborto opõe a Diocese e a militância do PT em GUARULHOS

 

cristo

 

GUARULHOS - Guarulhos, na Grande São Paulo, vive sua guerra santa, às vésperas da eleição presidencial. O aborto opõe a Diocese e a militância do PT na cidade.É uma guerra de panfletos, desencadeada nessa sexta feira, quando petistas começaram a distribuir nos passeios à porta e no entorno das paróquias o folheto "católicos de Guarulhos com Dilma 13".

Uma contraofensiva à pregação severa do bispo da Diocese, d. Luiz Gonzaga Bergonzini, que ainda antes do primeiro turno do pleito à Presidência da República mandou fazer um milhão de cópias do "apelo a todos os brasileiros", em que conclamava seu rebanho a não votar em Dilma e nem no PT, atribuindo à candidata e ao partido projetos pela descriminalização do aborto.

O milhão de folhetos que o bispo encomendou foi confiscado há duas semanas pela Polícia Federal por ordem do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que acatou ação cautelar da coligação que apoia Dilma.

D. Luiz não se curvou e deu sequência a seu libelo contra a interrupção da gravidez. No último domingo os padres de Guarulhos leram aos fiéis as explicações do bispo sobre o episódio.

O PT reagiu e, desde ontem, pôs sua militância nas Igrejas com seu folheto que se denomina "declaração de católicos e católicas de Guarulhos, razões que nos levam a votar em Dilma".

"Acompanhamos, com grande surpresa, as declarações do nosso bispo sobre as eleições, mas constatamos que suas posições sobre o momento político não tem o aval da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e dos bispos da Regional Sul 1 (Estado de São Paulo)", diz o texto.

Dividido em 9 capítulos, a carta discorre sobre ações do governo Lula na área social e afirma que Dilma a elas dará continuidade.

O manifesto petista foge à polêmica sobre o aborto - não diz que sua candidata à Presidência é a favor do aborto, nem diz que ela é contra.

Mas faz um jogo de palavras para tentar derrubar a orientação de d. Luiz e convencer os eleitores que Dilma é a favor da vida.

"Com Dilma nosso povo terá ainda mais direito à vida em plenitude, à educação de qualidade, saúde, segurança e moradia", assinala o panfleto.

Ao final, uma crítica à posição adotada pelo bispo. "Regra de ouro: todo cristão e cristã deve ajudar o povo a formar consciência. Mas não pode, em nenhuma hipótese, tolher a liberdade das pessoas, pressionar a respeito das posições políticas que elas devam assumir. A teologia moral ensina: quem age contra a liberdade, comete pecado grave."

D. Luiz não joga a toalha. Ao ser informado sobre a estratégia da militância petista de assediar os católicos em seus templos , redigiu de punho próprio um documento endereçado aos "caros diocesanos".

A carta do bispo foi discutida em reunião na Diocese às 21 horas dessa sexta feira. Com ironias, o bispo vai ao ataque e contesta os dizeres do folheto que o PT está divulgando em Guarulhos.

"Tomei conhecimento de um panfletinho que será distribuído à revelia nas saídas das missas deste final de semana, 30 e 31 de outubro, nas Igrejas católicas de Guarulhos. Trata-se de um manifesto baseado na mentira e no oportunismo do Partido dos Trabalhadores."

D. Luiz afirma a seus "amados irmãos" que tudo o que está escrito na introdução do panfleto petista "é mentira".

"Tenho o apoio e a aprovação da CNBB, conforme declaração dada pelo presidente dessa entidade, d. Geraldo Lyrio Rocha, no dia 21 de outubro", destaca o bispo de Guarulhos.

Ele declara, ainda, sua alegria, pelo que chama de apoio explícito de Sua Santidade, o Papa Bento XVI. Na última quinta feira, o papa declarou em Roma. "Seria totalmente falsa e ilusória qualquer defesa dos direitos humanos políticos, econômicos e sociais que não compreendesse a enérgica defesa do direito à vida desde a concepção até a morte natural."

D. Luiz finaliza com um recado aos fiéis. "Meus queridos, caso vocês recebam esse panfletinho, saibam que esse material pertence a um grupo que não pensa como a Igreja e que está em desacordo com aquilo que diz o bispo da Diocese e em escandalosa desobediência àquilo que ensina o Santo Padre. Não sigam o caminho desses irmãos errantes."

Um comentário:

José de Araujo Madeiro disse...

Tia Cê,
Felizmente, o nosso trabalho foi feito.

É claro que nos importa o resultado das eleições.

Mas, ... eu, particularmente, votarei no Serra. Não pelo candidato, mas pela alternância de poder, para oxigenar a frágil democracia brasileira, que capenga diante às intempéries e atos não meramente obscenos, mas da corrupção mais abjeta para uma sociedade que pleiteia a forma republicana de convivência política.

Mas procurei cumprir com o meu dever de brasileiro, fiz o que pude, não como atividade política partidária, mas de cidadania, de esclarecimento aos demais cidadãos que abordava; até mesmo criando constrangimentos entre amigos e à família.

Desejando, sempre, o melhor para o Brasil, e até pedindo ao GADU forças e sabedoria para fazer um trabalho muito além da nossa capacidade, tendo mesmo que sofrer represálias.

Mas o trabalho foi feito, o possível e além da nossa capacidade, cujo reconhecimento é irrelevante.

O Brasil Republicano e o Antiditadura esteveram sempre abertos e procurando espaços para avançar, na conquista de uma sociedade saudável, ética, livre, e de melhor futuro para gerações que nos sucederão.

Por isto, estamos de consciência tranquila. Se o trabalho tiver êxito, estaremos felizes, o Brasil avançou, deu sinais de vanguarda, fortalecimento e da sua liderança no continente.

Mas precisamos de trégua, de aguardar os acontecimentos. Iremos dar uma pausa, para melhor aconchego da família, invocando a GADU que sempre proteja o Brasil, das insanidades desses homens ávidos de poder, sob quaisquer circunstâncias.

Fica, porém, um fraternal abraço para todos que nos leram e que nos toleraram.

Att. Madeiro