2010-08-05

O PT e as FARC

PT: O DIREITO DE ERRAR

Por Nivaldo Cordeiro

04/08/2008

Quando o PT fez o grande barulho sobre a fala do candidato a vice da chapa de José Serra, Índio da Costa, ligando o PT às FARC, de imediato vi que foi cometido um erro de campanha. O canal onde o pronunciamento foi feito é absolutamente irrelevante e incapaz de alcançar público mesmo dentro da militância do PSDB. A barulheira feita pelos líderes do PT foi tão grande que chamou a atenção de toda a mídia e fez o fato repercutir por vários dias.

Ato contínuo, o PT entrou com processo na Justiça Eleitoral e ganhou o direito de resposta, no mesmo canal. Claro, ninguém vai vê-lo, mas o fato também virou notícia e o que vale é isso, que se fala sobre o assunto, e muito, e sempre de forma negativa. Repercutiu intensamente. Eu gravei um vídeo comentando o fato, no qual qualifiquei a vitória na Justiça Eleitoral de troféu “abacaxi”. Sim, porque ganhar aí foi perder. Há um velho ditado que diz que, quanto mais mexe, mais fede. É o caso aqui.

Hoje eu vi o vídeo feito como resposta do PT. Um locutor lê um texto chato, mais chato do que a Voz do Brasil nos seus piores dias. Sintomaticamente, em nenhum momento o texto se refere às FARC, precisamente o ponto que provocou toda a enxurrada de notícias negativas para o PT. Muito barulho por nada? Não, o autor do texto provavelmente percebeu que ampliar o sinal sobre o fato só causaria mais prejuízos. Do ponto de vista da comunicação política foi feito o que de melhor poderia ser feito.

Tivemos aqui uma sucessão de erros de comunicação cometidos pelos líderes do PT. Duvido que Índio da Costa e seus marqueteiros tenham projetado tudo assim. A coisa aconteceu sozinha, por erro e por arrogância. Não gostaram do que foi dito, natural, mas daí a transformar uma coisa pequena em coisa grande é a mais pura burrice. Isso só mostra que a turma do PT também erra. Eu não tenho a menor dúvida de que a mensagem correta – a ligação do PT com as FARC via Foro de São Paulo – chegou a muita gente que desconhecia o fato, especialmente naquele segmento mais informado, que tem acesso à mídia impressa.

Em paralelo, a comunicação pela internet foi instantânea e continuada, canal que os petralhas não conseguem controlar. Foi a festa dos blogs. O meu bateu todos os recordes de visitação. Imagino que o fato se repetiu mundo afora. Em resumo, muitos votos foram perdidos por falta de sangue frio de quem conduz a comunicação do PT. Melhor assim.

Nenhum comentário: