2009-11-27

AGÊNCIA DA ONU ACUSA O IRÃ E DESMORALIZA O GOVERNO LULA E OS ALOPRADOS DE AMORIM

Por Reinaldo Azevedo

sexta-feira, 27 de novembro de 2009 | 5:29 lula_ahma2

Depois do vexame em Honduras, depois do vexame com a visita de Mahmoud Ahmadinejad, depois do vexame de ter levado um chega-pra-lá por escrito do Departamento de Estado — assinado por Obama (estou listando só as patetices dos três últimos dias) —, Celso Amorim, o Megalonanico, o criador da teoria da “Penetração & Diálogo”, acaba de se submeter, e ao país, a mais uma desmoralização.

Ontem, o ainda diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), o moderadíssimo Mohamed El Baradei, afirmou estar desapontado com o Irã. Por quê? Porque o país não está cooperando com a agência, que tentou fazer um acordo sobre o combustível empregado em suas usinas. Até agora, sem resposta. Para Baradei, a investigação sobre o programa nuclear secreto daquele país, que teria como objetivo criar a bomba atômica, está num “beco sem saída”.

“Estou desapontado porque o Irã até agora não concordou com a proposta original nem com as modalidades alternativas. E acredito que todas elas sejam equilibradas, justas e que ajudariam a amenizar as preocupações referentes ao programa nuclear iraniano”, afirmou El Baradei. A AIE deve aprovar uma resolução CONDENANDO O IRÃ.

Pois é… Agora não são países da Europa. Agora não são os Estados Unidos. A Agência da ONU — em cujo Conselho de Segurança o Brasil anseia ter um assento permanente  — é que está acusando o Irã de falta de cooperação. Na prática, isso corresponde a reconhecer que o país, à diferença do que dizem Celso Amorim e seus aloprados, desenvolve um programa nuclear secreto.

Eis aí um bom motivo para Lula não ser flagrado desfilando ao lado de tipos como Ahmadinejad. No Programa do Jô, desfiei um pequeno rosário de acusações contra o Irã — inclusive o tal programa nuclear secreto. A petralhada — que mandei para o blog que a pariu — veio como enxame: “Quem disse que é secreto? Isso é acusação dos EUA!”. Não! Quem está acusando a falta de cooperação daqueles humanistas é a ONU. E a gente sabe que Baradei não é nem nunca foi do tipo que diz o que os EUA querem ouvir. Sabe, nesse caso, o tamanho da sua responsabilidade.

Quem ignora a sua é o Brasil. Na semana em que Lula desfila ao lado de Ahmadinejad, o Irã recebe a mais dura reprimenda do órgão encarregado de vigiar o uso da energia nuclear. Lula se torna, assim, membro honorário de uma pequeno grupo de delinqüentes que defendem o programa nuclear daquele país — com um entusiasmo que nem a Rússia jamais demonstrou.

Mais uma vez, Amorim conduz o Brasil à desmoralização! Até quando?

Nenhum comentário: