2009-07-30

Poema ruim em homenagem a outro péssimo



Homenagem:





"Milhares de mulheres de milho brotam do meu olho calado como espigas fortes.


No ar elas se endireitam
como folhudas criaturas carnosas


que ao vento se transmudam, de fêmeas em formosos penachos machos
Acho graça na cruza;


penso nisso que é ser mulher a passo de,


sob a vertigem solar, virar confusa hibridação.


Abro-me.


Brinco de me dar.


Rapto-me e opto-me


como se eu mesmo fosse me comer inteiro"





Homenageado





"O amor deixado no tapete


FlavCast


29.06.09


Por mais que faça


Só há desgraça


Nada encoraja


Estourar a carapaça


Entre letras e cores


Os velhos pudores


Os estranhos amores


São estranhas as dores


Ânimos diurnos


Achados noturnos


Escorrem moribundos


Por mundos escuros


Desperdício de tempo


Deixados de lado


Como bromélias


Deixadas ao relento


Purgo desnudo de tudo


Vazo pasmo e mudo


Como marcas de parede


Ou amor deixado no tapete.


Beijos "





COMENTÁRIOS SOBRE O HOMENAGEADO

Helio Pereiriano disse:

Esse mereceria um prêmio intitulado "Prêmio Tarso Genro de Poesia" e uma frase comemorativa tirada de seus poemas "quanto esperma desperdiçado…”, que aliás poderia ser o nome do concurso. Imagine: Participe do Concurso "Quanto Esperma Desperdiçado..." e concorra ao prêmio "Tarso Genro de Poesia". O vencedor ganhará uma declamação em público em sua homenagem: "Quanta luz, quanto gênio, um verdadeiro Tarso Genro!" seguido de aplausos de uma platéia inebriada de prazer e loucura. Alguém até poderia declarar em comoção "pois nesse momento, seus espermas não são mais desperdiçados, mas se convertem em lágrimas que escorrem em nossas faces de assombramento". E o autor, após tantas frustrações da vida, após tanta luta por reconhecimento, tanto "esperma desperdiçado", tantas "manchas deixadas no tapete", se sentiria consolado por essa vitória final, pois ele fez gol, não errou, e é só esperar o bebê da fecundação coletiva.

2 comentários:

Edna O'brien disse...

this is not poetry
these verses don't serve neither as toilet paper bull
these rhymes ain't worth a toilet paper
disgusting

deejay B disse...

leitura recomendada ao poeteiro:

http://www.4shared.com/file/74417026/4f033bd7/Mark_Emme_-_Tecnicas_de_masturbacion.html