2009-06-04

CHAPADÃO MINC LEÃO SEGUE ALUCINADO



quinta-feira, 4 de junho de 2009 6:56

O título acima é o que retrata o que vai abaixo, publicado na Folha de hoje. Volto em seguida:

Reunido ontem com cerca de 50 funcionários de sua pasta, o ministro Carlos Minc (Meio Ambiente) pediu fiscalizações menos rigorosas contra pequenos agricultores, que o apoiam em sua luta contra os ruralistas.
Após a presidente da Confederação Nacional da Agricultura, Kátia Abreu, pedir anteontem a demissão de Minc, ontem foi a vez de a Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso exigir sua saída: “O sr. ministro, ao rotular os ruralistas de “vigaristas”, deu mais uma evidência de sua imaturidade e irresponsabilidade que o desqualificam para ocupar o elevado cargo de ministro”.
Criticado por empresários, Minc recebeu ontem cartas de apoio da Contag e da Fetrab, que representam os trabalhadores, e fez uma autocrítica: “Nós erramos. Muita gente nossa tratava a agricultura familiar de uma forma meio autoritária. Não cumpriu? Pau. Multa. A gente tem de tratar diferentemente a agricultura familiar”.


Para ele, não se trata de estimular a impunidade: “É tratar de uma forma amiga, companheira, dando educação ambiental”. Em 2008, os assentamentos do Incra, onde vivem pequenos produtores, contribuíram com 21% do desmate na Amazônia.
Minc atacou ruralistas que dizem que há “xiitas que não deixam ninguém fazer nada no Brasil”: “É coisa medieval, de troglodita. Coisa da Inquisição. Antes se queimavam bruxas. Agora querem queimar árvores e ecologistas”.

Comento
Bem, se for o caso, releiam. Mas acho que vocês entenderam direito, e não há a menor possibilidade de ser outra coisa. Minc está afirmando que os desmatadores que são adversários políticos são piores do que os desmatadores que são aliados. A uns, ele promete camaradagem e educação ambiental; os outros, ele demoniza e chama de “vigaristas”.

Vejam lá o que diz aos aliados ideológicos: “Nós erramos. Muita gente nossa tratava a agricultura familiar de uma forma meio autoritária. Não cumpriu? Pau. Multa. A gente tem de tratar diferentemente a agricultura familiar. É tratar de uma forma amiga, companheira, dando educação ambiental”. Ah, bom! E para aqueles odiáveis “ruralistas”, aquela gente desprezível que planta comida? Bem, entendo que continua, então, a política do “pau e da multa”.

Não custa lembrar: a lista do Inpe com os 100 maiores desmatadores brasileiros é liderada pelo Incra. Mas agora Minc vai bater papinho com eles e, como se nota, vai relaxar. Como informa o jornal, quer “fiscalizações menos rigorosas”.

Este senhor só não é uma piada porque não tem graça nenhuma. Com Minc é assim: aos amigos, tudo, menos a lei; aos inimigos, nada, nem a lei.

Nenhum comentário: