2009-05-30

TERRORISMO DA ONU


O TERRORISMO ECOLÓGICO E A VERDADE REALMENTE INCONVENIENTE
sexta-feira, 29 de maio de 2009 19:14
(leia primeiro o post abaixo)



Leram abaixo? A ONG de Kofi Annan anda espalhando mundo afora que o aquecimento global — qual? — mata 315 mil pessoas por ano. Uau! Antes que prossiga, uma observação: aquecimento global, pelo visto, é área de atuação de figurões desempregados ou sem ocupação, né? Kofi Annan presidindo ONG? Ai, Jesus! E quem cuida do cofre??? O filho dele está metido no meio? Se consegue fazer falcatrua na ONU, imaginem numa entidade internacional cheio de financiadores europeus e americanos com consciência culpada… Adiante.



O que sempre me espanta na Igreja do Aquecimento Global dos Últimos Dias é a precisão dos valentes. Se eu perguntar para Kofi Annan se vai chover amanhã, é bem capaz de ele molhar o dedo na saliva para tentar interpretar a direção dos ventos. Ou de consultar alguma entidade popular, referendada por culturas locais não-eurocêntricas… Mas ele deve estar na turma que sabe exatamente qual será a temperatura média em 2030… Tenham paciência.



Cético? Não acredito nem em aquecimento global? Nego-me a aceitar as evidências? Eu? Eu não! Vigarista é quem esconde a realidade. Leiam, se quiserem, um texto publicado no Telegraph.com.uk. Dou uma síntese do artigo “Elevação do nível do mar e a maior mentira jamais dita”. Começa Christopher Booker, o autor: “Se uma coisa, mais do que qualquer outra, é usada para justificar as propostas de que o mundo deva gastar dezenas de trilhões de dólares para combater o aquecimento global, essa coisa é a crença de que nós enfrentaremos um desastre com a elevação do nível do mar. As calotas de gelo da Antártida e da Groenlândia vão derreter, dizem-nos, os oceanos aquecidos vão se expandir, e o resultado será uma catástrofe”.



Booker lembra um pouco do terrorismo que se faz sobre o assunto. Embora o tal Painel da Mundaça Climática fale numa elevação do mar de 59 cm (17 polegadas) até 2100, o filme de Al Gore (um dos desempregados chiques do onguismo), Uma Verdade Inconveniente, prevê uma elevação de 20 pés — fiz a conversão para vocês: 6,096 metros. O autor lembra os gráficos apresentados para aterrorizar, em que cidades como Xangai e São Francisco aparecem tomadas de água pela metade — ou o desaparecimento de ilhas como Maldivas e Tuvalu.



Tudo muito bom, tudo muito bem. Ocorre que a maior autoridade em aquecimento do mar, no mundo, é o geólogo e físico Nils-Axel Mörner. Este senhor, muito qualificado, vejam lá, estuda o nível do mar há 35 anos. E é taxativo: não! Ele não se elevou nos últimos 50 anos. E é irônico: a elevação, em um século, poderia ser de, no máximo, 10 cm (4 polegadas), com uma margem de erro de… 10 cm! Vocês sabem: um especialista como ele lida com margem de erro. Kofi Annan e Al Gore não precisam disso.



O aquecimento global, claro, virou refúgio de espertalhões. Mörner desenvolveu um trabalho especial de olho na situação das Maldivas. Já há 20 anos, os líderes locais recebem ajuda externa para se prevenir do desastre. Ele estudou o assunto e constatou: não, o mar não está se elevando. Antes de anunciar o resultado dos estudos, propôs aos dirigentes locais a exibição de um filme tranqüilizando a população. Os tais governantes recusaram… Devem jogar no mesmo time de Kofi Annan. Leiam o artigo. Vale a pena.



Eu o tomo como verdade absoluta? Nada do que é humano, baseado em análises e projeções, eu tomo como verdade absoluta. Apenas deixo claro que há gente competente, séria, que questiona o terrorismo ambiental — em particular, este do aquecimento global. Bem lida a fala de Kofi Annan, a vigarice já é anunciada na saída: ele está interessado em fazer um arranca-rabo entre países pobres e ricos — aqueles sofreriam mais ou efeitos do aquecimento, embora contribuem menos para ele… É a forma que a luta de classes tomou no nosso tempo: uma disputa para ver quem produz mais calor e mais pum…



Eu ousaria dizer — não! Eu ouso dizer — que a corrupção dos ditadores africanos, que tiranizam seu próprio povo e roubam o dinheiro da ajuda internacional, responde por milhões de mortes. São os amigos terceiro-mundistas de Kofi Annan e de Al Gore. Essa conta do número de mortos em razão do aquecimento global é uma dessas vigarices que convencem trouxas bem-intencionados, que acham mesmo que a gente “precisa salvar o planeta”, seja lá o que isso significa. No Brasil, até ator de novela se dá ao luxo, com a profundidade dramática de um pires, de fazer terrorismo ecológico com base em dados furados.



Fosse verdadeiro todo esse terror, gostaria de saber quantos humanos seria preciso matar para fazer uma planeta ecologicamente correto. Sim, se é para dar comida para toda essa gente — e eu sou a favor disso —, será preciso rever algumas metas, não é mesmo? No caso do mar, fiquem tranqüilos. Doutor Mörner tem os dados: o Adriático não sobe; é Veneza que afunda.

Nenhum comentário: