2009-05-24

INTEGRANTES DA MARCHA CONTRA A CPI DA PETROBRAS RECEBEM VERBA MILIONÁRIA DA PROPRIA PETROBRAS

Tontons-maCUTs - O pegue-pague ideológico das marchadeiras
domingo, 24 de maio de 2009 6:52

Na Folha:
Vocês se lembram que eu comentado que a valente ABI (Associação Brasileira de Imprensa), uma das marchadeiras contra a CPI da Petrobras, era patrocinada pela estatal, não? Pois é. Reportagem na Folha de hoje, intitulada “Entidades contra CPI recebem de estatal” evidencia que todas as promotoras daquela vergonha são financiadas pela empresa. Segue trecho da reportagem:


Entidades que promoveram uma passeata na última quinta-feira, no centro do Rio de Janeiro, contrária à instalação da CPI da Petrobras, no Senado, -e que anunciam uma onda de manifestações no país- tiveram projetos financiados pela estatal no valor de R$ 12 milhões entre 2006 e 2009.
Realizado por representantes da CUT (Central Única dos Trabalhadores), da UNE (União Nacional dos Estudantes) e da ABI (Associação Brasileira de Imprensa), o ato de quinta-feira “em defesa da Petrobras” reuniu entre 2.500 e 3.000 pessoas, segundo cálculo da Polícia Militar. O ato foi apoiado por militantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e de partidos de esquerda.
Lideradas pela FUP (Federação Única dos Petroleiros), filiada à CUT, as entidades prometem uma série de manifestações contra a CPI. O próximo, segundo a CUT, deverá ocorrer na terça-feira, em Natal (RN).
O presidente da CUT, Artur Henrique, divulgou nota oficial para condenar a CPI e dizer o que considera a “insistência da oposição em tentar paralisar a Petrobras, que responde por mais de 10% do PIB nacional”.
Ao longo dos últimos três anos, a Petrobras apoiou com R$ 11,9 milhões projetos desenvolvidos por CUT, UNE e ABI.
O grosso dos recursos foi para a CUT -R$ 10,6 milhões em quatro projetos: alfabetização de trabalhadores, comemoração do 1º de Maio e dois anos do projeto CUT Cidadã, nos anos de 2007 e 2008. A Força Sindical e a UGT (União Geral dos Trabalhadores) também receberam patrocínios para suas festas do Dia do Trabalho.
O Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), ligado à CUT e sindicatos, recebeu mais R$ 650 mil da petroleira.
Assinante lê mais aqui

Nenhum comentário: