2009-04-14

PAC E PLANO HABITACIONAL, NÃO EXISTEM


Plano habitacional: falhas na largada


Por Adriana Fernandes e Isabel Sobral, no Estadão:


Em meio à pressão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que cobra mais agilidade e eficiência dos bancos oficiais, a Caixa Econômica Federal iniciou ontem as operações do programa habitacional "Minha Casa, Minha Vida" sem ter definido todas as regras e com ajustes de última hora. Para as famílias que ganham até 3 salários mínimos, o programa, na prática, ainda não começou. Alvo principal dos benefícios, essas famílias terão de esperar prefeituras e Estados aderirem ao programa e cadastrarem os interessados.Alegando dificuldades operacionais, a Caixa informou também que o governo decidiu estender a todas as famílias beneficiadas a isenção do seguro do financiamento. Inicialmente, só as famílias com renda de até cinco salários mínimos haviam sido dispensadas do pagamento, que vai até 40% da prestação. O Ministério da Fazenda resistia à ampliação da "bondade".


Para evitar críticas de falta de agilidade e dar fôlego inicial ao programa, a Caixa vai adaptar projetos de empreendimentos imobiliários que já estão em análise no banco e, na origem, não eram voltados para essa faixa de renda. Cerca de 50 mil unidades deverão ser as primeiras com a marca do programa. A expectativa é que os primeiros contratos sejam assinados ainda este mês.Preocupado com o risco de tumulto nas agências, o vice-presidente da Caixa, Jorge Hereda, orientou as pessoas que recebem até 3 salários a procurar as prefeituras ou governos estaduais.


Os termos de adesão de Estados e municípios ao programa, porém, só foram disponibilizados ontem.Segundo Hereda, as prefeituras vão divulgar "oportunamente" os locais para cadastramento. "A escolha não será por ordem de chegada", adiantou. Nas localidades em que a demanda for maior do que os recursos disponíveis e de quantidades de moradias oferecidas, haverá sorteio. As famílias com maior número de integrantes terão prioridade sobre os candidatos solteiros.Até ontem às 19h, as regras gerais para a escolha dos cadastrados, que seriam estabelecidas por portaria do Ministério das Cidades, não eram conhecidas. O governo também prometia um decreto definindo os municípios que poderão ser alcançados pelo programa. Nem o banco nem o Ministério das Cidades divulgaram balanço de quantas prefeituras assinaram termo de adesão.


Assinante lê mais aqui


Por Reinaldo Azevedo 04:57


Comentários:


Reinaldo, ontem no Jornal Nacional vi estupefata o tal plano habitacional da casa própria para a classe média.Aonde estava a novidade? Anunciaram com estardalhaço a redução dos juros para 8,16 + TR.Comprei meu apto a 3 anos atrás e já pago essa taxa de juros, mas como meu plano não faz parte dessa mirabolante campanha publicitária petista, não pago TR, ou seja, somente os juros de 8,16.A imprensa amestrada nem se deu ao trabalho de verificar a farsa, a mentira, e que esses juros já vem sendo praticado e pior se a TR7:32 AM


Anônimo

A crise... vista por um americano bem humorado!!! O sujeito é americano e se chama Marc Faber.Ele é Analista de Investimentos e empresário. Em junho de 2008, quando o Governo Bush estudava lançar um projeto de ajuda à economia americana, ele encerrava seu boletim mensal com um comentário bem-humorado, não fosse trágico...

"O Governo Federal está concedendo a cada um de nós uma bolsa de U$ 600,00.

Se gastarmos esse dinheiro no supermercado Wall-Mart, esse dinheiro vai para a China.

Se gastarmos com gasolina, vai para os árabes. Se comprarmos um computador, vai para a Índia. Se comprarmos frutas e vegetais, irá para o México, Honduras e Guatemala.

Se comprarmos um bom carro, irá para a Alemanha ou Japão.

Se comprarmos bugigangas, irá para Taiwan...

E nenhum centavo desse dinheiro ajudará a economia americana. O único meio de manter esse dinheiro na América é gastá-lo com prostitutas e cerveja, considerando que são os únicos bens ainda produzidos por aqui.

Estou fazendo a minha parte..."


Comentário de um brasileiro igualmente bem humorado:

Realmente a situação dos americanos parece cada vez pior. Depois da compra da Budweiser pela AmBev (meio belga, meio brasileira), restaram apenas as prostitutas. Porém, se elas (as prostitutas) repassarem parte da verba para seus filhos, a maior parte dessa grana irá para Brasília.8:54 AM


AntunesPaulo

Renato esqueceu-se de citar que os petistas também se apropriaram da DRU (Desvinculação de Receitas da União) que redirecionou 75 bilhões de reais que seriam destinados a educação, para outras áreas de "maior relevância"... Em épocas de disputa política todos querem se apropriar da "virtude ilibada"... Agora, a notícia boa é o flerte do PSDB com uma atitude mais declarada de oposição ao governo petista!9:20 AM

Nenhum comentário: