2009-04-29

COTISMO E RACISMO E CONFISCO, AS GRANDES CONQUISTAS DA ERA LULA, PORQUE COMO TODOS SABEM O PAC EMPACOU

O TRIBALISMO E O QUILOMBOLISMO

Confusão propositada e ideológica Há 30 anos – entre perplexo e atônito – o Brasil tomava conhecimento da existência de uma corrente de missionários contrária à catequização e à civilização dos índios. Segundo sua doutrina, os silvícolas devem manter seu primitivismo, tipo humano ideal do terceiro milênio..
Tal revelação foi feita por Plínio Corrêa de Oliveira, nesta obra que teve sete edições e 76 mil exemplares.

Hoje, 30 anos depois, uma histeria demarcatória de terras indígenas atropela o direito de propriedade através de simples decretos e portarias, aliás, sem nenhum amparo constitucional.
O governo Lula anunciou mais 129 áreas a serem delimitadas até 2010. O
s autores desta segunda parte visitaram a área da reserva indígena Raposa/?Serra do Sol, no Estado de Roraima, na fronteira com a Venezuela e a Guiana inglesa.
São muitos os brasileiros que vêem naquela região conflagrada uma ameaça à soberania nacional. A FUNAI, no seu afã demarcatório acaba de delimitar no Mato Grosso do Sul – região fronteiriça com o Paraguai novas reservas que podem alcançar 112 milhões de hectares de terras férteis e produtivas.
Tal medida vem despertando reações indignadas não somente da população daquele estado, mas de todo o Brasil. Com a Reforma Agrária, a Revolução Quilombola e as questões eco-ambientalistas, o Tribalismo Indígena forma um quadro impressionante de coletivização das terras brasileiras.


Este livro entra no âmago da questão indígena

A primeira edição, de 3.000 exemplares esgotou-se
em 30 dias.
A segunda edição de mais 3.000 já está sendo divulgada.

Vejam o tamanho da encrenca!
Quem quer essa confusão toda para o Brasil?
já estamos nela!
São terras ocupadas por áreas indígenas (amarelas) assentamentos (vermelhas) e acampamentos (verdes)
da Reforma Agrária, áreas da Revolução Quilombola (azuis).[Photo]

Não estão aqui as áreas de reservas ambientais.
CIMI- Conselho Indigenista Missionário, Governo, governos estrangeiros, ONGs aos milhares, querem coletivizar todo o território brasileiro.

Para eles quanto mais, melhor. Seria necessário ocupar áreas dos países vizinhos para caber tudo o que está sendo planejado!
[Photo]
Fonte: IBGE, MAPA, Conab, ABRAF, INCRA, MMA. CNA



DENUNCIA: A REVOLUÇÃO QUILOMBOLA VEM AÍ

Sua vida pode mudar de um dia para outro.

Uma revolução de raças e de classes está em marcha, procurando utilizar-se de negros.


Esta é a denúncia-bomba do livro “A revolução quilombola”, do jornalista Nelson Ramos Barretto, da campanha “Paz no Campo”, de São Paulo.

Um simples decreto (4887/03) do presidente Lula rasga milhares de escrituras, no campo e na cidade. O legítimo proprietário lesado só pode discutir as benfeitorias. Ou seja, um confisco!

E você, como fica diante do problema?

Se sua FAZENDA ou sua CASA for definida como área quilombola, como aconteceu na cidade do Rio de Janeiro, em Porto Alegre e em São Mateus (ES), o que fará?


Encomende hoje mesmo o livro
"A revolução quilombola"

Depois do “cotismo”, o "quilombismo!" O "cotismo" estabeleceu vagas universitárias obrigatórias para negros.
Agora, o governo Lula lança um novo elemento de confusão no Brasil: o “quilombismo”, que pretende tirar terras dos legítimos proprietários, e criar nelas fazendas coletivas de quilombolas, controladas pelo Incra. E isso atinge o campo e a cidade.

Outra denúncia do livro: os quilombolas estão sendo ludibriados. O Estado não lhes concede título de propriedade. Como em Cuba e na China, terão apenas o uso da terra. O trabalho será comunitário, sob a batuta do Estado-patrão.


Nenhum comentário: