2009-04-09

O PAC, COMO É SABIDO, NÃO EXISTE.


PLANO DE ACELERAÇÃO DA CANDIDATA. Ou: "Você quer o quê, santinho?"


(leia primeiro o post abaixo)


O PAC, como é sabido, não existe.


As obras relacionas no tal plano ou fazem parte do Orçamento — inclusive e principalmente de estados e municípios — ou pertencem à iniciativa privada, cujos méritos são expropriados pela dupla Lula-Dilma.


Vejam ali no post abaixo os números do TCU. Estamos no segundo trimestre de 2009. Logo se vai o primeiro semestre. Nunca se esqueçam: a cifra do PAC até 2011 — menos de dois anos — é de mais de R$ 1 trilhão. Sim, um trilhãozinho de nada...


Lula é craque em dar como coisa feita e inaugurada o que ainda nem saiu do papel.

Lembram-se daquele milhão de casas próprias? Os “brasileiros” aparecem sorridentes na marquetagem, portando seu título de propriedade, com as moradias ao fundo.

Nada daquilo existe: moradia, título ou felizes proprietários.


O que Lula está anunciando é o Plano de Aceleração da Candidatura de Dilma Rousseff, que, naturalmente, acompanhará o presidente.

A cada canteiro de obra ou projeto de canteiro, um discurso novo.

A cada novo discurso, uma aparição na TV.

A cada aparição na TV, a exposição da... candidata. Afinal, como diria a própria, “Você quer o quê, santinho?”


Lula diz que vai viajar o país para vistoriar o PAC...
Por Márcio Falcão, na Folha online.

Comento no post seguinte:

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira que vai começar uma peregrinação pelo país para acompanhar de perto a execução das obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). O anúncio foi feito aos ministros da área econômica, de infraestrutura e dirigentes de estatais que participam de uma reunião para avaliar o andamento das obras do programa.Lula disse que após as visitas estaduais vai discutir com áreas específicas soluções para os problemas que forem identificados.Segundo relato de ministros que participam da reunião, o presidente cobrou mais agilidade na execução das obras e menos burocracia no andamento das ações do programa. "[o presidente] deixou bastante claro seu envolvimento pessoal no acompanhamento das obras que estão ocorrendo no país, cobrando cronogramas, celeridade, insistindo na tese que temos que criar condições", afirmou o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima.Geddel afirmou que o presidente demonstrou preocupação com o ritmo das obras e voltou a insistir para que as empresas que sejam contratadas pelo PAC adotem o sistema de terceiro turno para a geração de mais emprego. Essa recomendação já tinha sido repassada aos empresários, mas de acordo com levantamento do governo, poucas empresas implementaram o terceiro turno."O presidente insistiu que as obras sejam tratadas com mais um turno para gerar empregos. O PAC pode ter característica de estimular a geração de empregos diretos e aquecer economia", disse.No encontro, o presidente e os ministros discutem os maiores entraves para o andamento do PAC. Entre os pontos foram listados, estão questões ambientais e as auditorias do TCU (Tribunal de Contas da União). "Gargalo em obra pública existe sempre. É gargalo porque a legislação determina. Você tem questões ambientais, questões da própria relação com o Tribunal de Contas da União que tem que cumprir seu papel de fiscalizar as obras.Nós temos que fazer os enfrentamentos necessários, mudar o que tiver que se mudado para que as obras possam avançar e os empregos possam surgir", disse Geddel.TCUAs avaliações recentes do TCU sobre o PAC preocupam a cúpula do governo. O tribunal identificou que a Casa Civil avalia para cima o desempenho do programa. O TCU aponta que dos R$ 15,8 bilhões reservados no Orçamento de 2008 só foram executados até novembro R$ 2,5 bilhões, cerca de 15%. Levando em consideração o comprometimento dos "restos a pagar" de anos anteriores os gastos disponíveis subiriam para R$ 8,6 bilhões (33%).O governo, por outro lado, sustenta que em 2008 foram gastos R$ 3,76 bilhões do Orçamento do PAC, além de R$ 7,56 bilhões de restos a pagar. Ao todo, a Casa Civil indica que foram empregados R$ 11,32 bilhões (43%).No relatório anterior a este, o TCU mostrou que dos 84 empreendimentos acompanhados neste ano pelo TCU, 38 (45%) estavam com atraso maior do que o governo divulga.

A Casa Civil argumenta que a diferença nos balanços se deve a questões metodológicas.

3 comentários:

Tia Cê disse...

Os processos do homem que é o relator do projeto das casas de Lula... Aquelas que não têm teto, não têm nada
No Globo:
O senador Leomar Quintanilha (PMDB-TO), relator na Comissão de Orçamento do projeto que garantirá R$ 6 bilhões à construção de um milhão de casas populares, é alvo de dois inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF). Reportagem de Maria Lima, publicada na edição deste domingo de O GLOBO, mostra que o senador é investigado por participação em esquema de lavagem de dinheiro, superfaturamento, pagamento de propina e desvio de R$ 25 milhões de recursos, principalmente de emendas parlamentares, destinados à construção de, justamente, moradias populares, em Tocantins.
Posto na presidência do Conselho de Ética pela cúpula do PMDB, durante o processo de cassação do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), Quintanilha, também naquela época, teve de dar explicações sobre esses inquéritos, abertos no STF a pedido do Ministério Público, após investigação da Polícia Federal.
Os relatórios do MP que motivaram a abertura dos inquéritos apontam para denúncias de envolvimento de Quintanilha e do irmão, Cleomar, no esquema de desvio e favorecimento de empreiteiras com recursos de emendas.
O senador é suspeito de usar o irmão como testa de ferro para desviar o dinheiro e receber propinas. O esquema, descoberto em 2000, teria a participação de 30 empreiteiras e atingido 80 obras em 33 municípios de Tocantins. Segundo relatório do MPF, a empreiteira Forma ganhava a maioria das licitações, recebia as emendas, mas não realizava as obras. Subcontratava outras empresas, distribuindo entre o grupo cerca de 40% dos lucros.
- Isso é um carma que estou carregando há tantos anos! O que tem uma coisa a ver com a outra, meu Deus? Estou sendo investigado junto com umas 90 pessoas, e no cabeçalho tem lá aquelas coisas pesadas (formação de quadrilha), mas não devo nada - jura Quintanilha.

Anônimo disse...

Governo não investe no ritmo em que fala
No Globo:
Apesar do discurso oficial de que é preciso investir mais devido à crise econômica, o governo federal teve um desempenho tímido no primeiro trimestre: de R$ 48 bilhões previstos para investimento no Orçamento de 2009, R$ 359 milhões (0,7%) foram gastos. Apenas se incluídos os restos a pagar, chega-se a R$ 3,6 bilhões (7,5%), valor semelhante ao gasto em igual período de 2008. É o que mostra reportagem de Regina Alvarez, publicada na edição deste domingo do jornal O GLOBO. ( Leia mais: Lula cobra agilidade no PAC e diz que vai checar in loco o andamento das obras )
No final de janeiro, o governo fez um bloqueio preventivo de recursos do Orçamento para ter uma avaliação mais precisa do comportamento da arrecadação, mas os recursos para obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e outros setores considerados prioritários não foram retidos. Esse bloqueio é apontado pela Secretaria de Orçamento Federal, do Ministério do Planejamento, como um dos fatores que justificam o atual nível de execução dos investimentos

Anônimo disse...

DO BLOG DO CLAUSEWITZ:
Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje, no Recife, que as prefeituras não estavam preparadas nem tinham projeto quando o governo federal lançou o Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) e anunciou que iria fazer o mais poderoso investimento na área de saneamento básico e habitação popular. "Ou seja, todo mundo fazia campanha dizendo que ia acabar com as favelas, mas ninguém tinha projeto", afirmou em entrevista coletiva à imprensa depois de participar do velório do deputado federal Carlos Wilson Campos (PT-PE), no Palácio do Campo das Princesas, em Recife..."

Fonte: Yahoo / AE


Um único comentário meu:

► Quem trabalha com construção, sabe que a execução das fases de um projeto geralmente equivalem a um bom percentual do tempo total da obra em si... a retórica imoral de Lula da Silva só o caracteriza como um péssimo administrador e por que digo isto? como o erário se lança a bancar o "mais poderoso investimento na área de saneamento básico e habitação popular" sem a contrapartida científica para isto? lamentável, mas a cara e o rabo do PT foram impressos nesse PAC como nada igual havia sido feito por eles com tantos requintes de lambança e que agora, o analfa chefe quis fazer o que mais gosta ele e sua trupe de fazer: transferir a responsabilidade... Lula, a culpa é sua... e o que vem por ai, ou seja, o bolsa favela será algo bem mais característico, pois sem a mínima distinção do PAC, iniciou pela metade sem qualquer tipo de preparação inicial... vamos ver em quem Lula depositará a responsabilidade daqui a alguns meses quando um milhão de unidades habitacionais naufragarem pelo mar de ignorância e despreparo do PT...